CRECI/DF é número 1 em fiscalização do Centro Oeste | CRECI/DF
Banner topo
Banner topo
Banner topo

Brasília, 21/01/2018

CRECI/DF é número 1 em fiscalização do Centro Oeste

DA REDAÇÃO CRECI/DF

O CRECI/DF recebeu troféu pela atuação da fiscalização durante a plenária do COFECI em Natal – RN

Em mais um ano, a fiscalização realizada pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis da 8ª Região (CRECI/DF) é destaque no cenário nacional. Desde o início de 2017 até a presente data (04 de dezembro), foram executadas 28.064 diligências, número que garantiu o título de fiscalização mais atuante na região Centro-Oeste e segunda colocação no rank nacional do mercado imobiliário, pelo Sistema COFECI-CRECI

“Fruto de muito esforço e trabalho que é realizado por toda nossas equipes a fim de tornar o mercado mais acessível e livre de contraventores. Mas isso não seria possível sem a participação dos Corretores de Imóveis e da comunidade brasiliense”, afirmou o presidente do CRECI/DF, Hermes Alcântara.

Todas as 31 regiões administrativas do DF são fiscalizadas diariamente pelo Conselho. Imobiliárias, escritórios, Corretores e pessoas que supostamente estão negociando imóveis são visitados “Nossas equipes percorrem todo o Distrito Federal para evitar que contravenções ou os serviços imobiliários sejam realizados por pessoas que não tem qualificação, expondo ainda mais a  população a golpes” disse o Coordenador da pasta, Marlon Cruz.

Um dos serviços primordiais da Fiscalização do CRECI/DF é coibir que contraventores negociem imóveis sem o devido registro. “O profissional que é registrado está amparado por lei e apto, ele estudou, para negociar imóveis. Uma pessoa clandestina não tem compromisso e pode tornar o sonho da casa própria em pesadelo e baita dor de cabeça”, disse Hermes Alcântara.

Além da visita física, o órgão também realiza as diligências nos meios digitais, “anúncios impressos ou virtuais como internet, rádio e tv são monitorados para coibir que algo fuja do real objetivo da profissão que é garantir a negociação segura de imóveis”, disse Marlon.

A participação da comunidade e de profissionais são recebidas pessoalmente, via email, facebook, site, telefone e qualquer outro meio de comunicação do Conselho do DF.  Em apenas um chamado, três supostos contraventores foram autuados em uma agência de marketing em São Sebastião. “Todas as pessoas que são pegas negociando indevidamente imóveis de terceiro em Brasília respondem pelo ato junto ao MP, estes podem ser punidos com pagamentos de cestas básicas, serviço social ou detenção de 6 meses a 1 ano”, finalizou Marlon.