Vendas de imóveis novos no DF têm estabilidade de maio a julho de 2015 | CRECI/DF
Banner Topo

Brasília, 23/09/2019

Vendas de imóveis novos no DF têm estabilidade de maio a julho de 2015

O Índice de Velocidade de Vendas (IVV) de imóveis residenciais no Distrito Federal manteve-se estável no período de maio a julho de 2015, registrando o índice de 4,6%. Este percentual é bem próximo do índice de 5%, que é o referencial para uma análise realista de viabilidade de empreendimentos imobiliários no DF. O índice de 4,6% praticamente repete os 4,7% apurados no 2º trimestre de 2015, que representou uma elevação de 27% em relação ao IVV residencial do 1º trimestre (3,7%).

 

IVV Residencial – Índice de vendas estabiliza de maio a julho

grafico_2
O mais recente IVV mensal residencial apurado foi o de julho: 3,9%. Ele representa uma pequena desaceleração sazonal, em função de julho ser um mês de férias e, tradicionalmente, de menor volume de negócios. Além disso, naquele mês ocorreram os efeitos de uma restrição momentânea de crédito imobiliário pelos agentes financeiros, em especial a Caixa Econômica Federal.

“Para os empresários da área imobiliária, o ritmo de vendas de imóveis novos de 4,6%, de maio a julho, está de acordo com o atual nível de negócios do setor, muito prejudicado nos últimos anos, tanto pelas notícias negativas da economia quanto pela intensa burocracia que regula a liberação de seus negócios no Distrito Federal”, avalia o presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-DF), Paulo Muniz.

Muniz exemplifica que, “se considerarmos um índice de velocidade de vendas de 4,6%, como o de maio a julho, isso significa que um empreendimento com 100 unidades levaria pouco mais de 20 meses para ser totalmente vendido. Como são necessários cerca de 30 meses para sua conclusão, vender tudo em 20 meses é um prazo bem razoável para viabilizar o negócio”, diz o empresário. Ele considera que, neste momento de incertezas no mercado financeiro, a compra de imóvel ainda é um ‘porto seguro’ para a sociedade.

O IVV dos imóveis comerciais também apresentou uma pequena redução em julho: 2,7% ante 3,3% em junho. “É reflexo da insegurança momentânea na economia do país, que inibe a expansão de negócios das empresas e reflete nas vendas de imóveis comerciais”, explica Muniz. A iniciativa da pesquisa IVV é do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-DF) e da Ademi-DF, com apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-DF).

Pesquisa útil para compradores e vendedores de imóveis

A pesquisa do IVV é útil tanto para compradores de imóveis, autoridades do DF e incorporadores de imóveis; quanto para toda a cadeia produtiva. O motivo é que o estudo sinaliza o comportamento do mercado de forma global, setorizado por região administrativa e por tipo de planta, indicando onde há demanda por novas construções e de quais tipologias. Até tal iniciativa, não havia dados consolidados sobre esse importante mercado, gerador de negócios, empregos e renda, em que se destacam as pequenas empresas. Com a pesquisa, os compradores poderão ter acesso a informações úteis para planejar com mais consistência a realização do sonho da casa própria ou a compra do escritório ou loja.

Os dados da pesquisa do IVV de julho de 2015 estão disponíveis no site do Sinduscon-DF: www.sinduscondf.org.br.