SECOVI/DF divulga dados imobiliários | CRECI/DF
Banner topo

Brasília, 17/10/2018

SECOVI/DF divulga dados imobiliários

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) divulga o Boletim de Conjuntura Imobiliária, referente ao mês de maio de 2018. A amostra analisou 40.436 imóveis, sendo 37.278 residenciais e 3.158 comerciais. “O mercado segue na expectativa da política econômica e começa a dar sinais de melhoras. Precisamos ter confiança no setor produtivo, pois o mesmo é a força motriz que alimenta o retorno ao crescimento “, afirma o presidente do SECOVI/DF, Ovídio Maia Filho.

O Boletim traz os índices econômicos, oferta de imóveis no Distrito Federal, os preços por metro quadrado, bem como valores medianos dos imóveis contemplados por tipo e região e o Índice Imobiliário SECOVI-DF, ou Índice SECOVI, que analisa o comportamento geral dos preços dos imóveis ofertados.

Conforme o último levantamento, o índice imobiliário de comercialização continuou seu curso de crescimento e obteve em abril de 2018 um aumento de 1,27% quando comparado com o mês anterior. Contudo, na variação do mês de abril de 2017, comparado com o mesmo mês deste ano, o índice apresenta uma queda de – 3,95%. Isso indica que o setor imobiliário, apesar de ter retomado o crescimento, ainda está em processo de recuperação das perdas de meses anteriores.

Assim como o índice de comercialização, o de locação apresentou crescimento no mês de abril. A variação acumulada do ano continuou registrando valores positivos, neste mês, 1,70%. Além disso, o resultado de abril seguiu e melhorou a recuperação do setor, a variação percentual no mês passou de 0,85% para 1,23%.

Em relação ao cálculo da rentabilidade comercial e residencial, Águas Claras foi a região que apresentou as maiores rentabilidades no mês de abril. A rentabilidade comercial ficou em 0,60%, na categoria lojas, e em 0,63% na categoria salas. A rentabilidade residencial em Águas Claras apresentou os seguintes percentuais conforme as categorias analisadas: Quitinete (0,46%), Apartamento 1 dormitório (0,48%), Apartamento 2 dormitórios (0,41%) e Apartamento e dormitórios (0,43%).

Assim como nos meses anteriores, a categoria Apartamento com 2 dormitórios continua com a maior participação no mercado imobiliário (21,21%), mesmo apresentando variação negativa de 4,32% em seu preço mediano.

No mês de abril, das três maiores variações no preço mediano, todas foram positivas e ocorreram na categoria Loja. O Setor de Indústria apresentou a maior das variações (175,68%), seguida por uma variação de 63,92% em Ceilândia e por fim uma variação de 25% em Sobradinho.

Em relação ao preço mediado dos imóveis residenciais à venda, das três maiores variações positivas no preço, duas ocorreram na categoria Quitinete. As maiores valorizações da Quitinete ocorreram em Ceilândia (53,64%), seguida por Samambaia (15,38%). Já Brasília apresentou 19,66% de variação positiva na categoria Casa 2 dormitórios.

Em abril a amostra total de imóveis disponibilizados para locação foi de 11.410. Os preços medianos não apresentaram grandes variações na maior parte das categorias. No entanto, a categoria Casa Condomínio de 2 dormitórios apresentou queda de 24,39% em relação ao mês anterior. É importante ressaltar que apesar da queda considerável, no mês passado houve um aumento de 28,13%, nessa categoria.

 

CLIQUE AQUI PARA CONFERIR A INTEGRA DA PESQUISA.