Conselheiros tomam posse | CRECI/DF
Banner topo

Brasília, 20/11/2018

Conselheiros tomam posse

Setor Imobiliário

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) nomeou 54 representantes para a gestão de 2016 a 2018. A cerimônia ocorreu na Câmara Legislativa e serviu também para traçar os desafios durante o momento de crise no País.

Conselheiros tomam posse

Com a estimativa de um Corretor de Imóveis para cada 200 brasilienses, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) empossou na noite de ontem 54 Conselheiros para a gestão de 2016 a 2018, com alguns desafios.

Um deles é, justamente, a concorrência, principalmente em tempos de crise. A entidade tem 25 mil profissionais inscritos, sendo 12 mil na ativa. Em uma cidade economicamente aquecida, no entanto, sem muitos endereços para investimento grande de compra e venda, a categoria aposta na velha agenda para manter o mercado em movimento. Segundo o Presidente do Creci, Hermes Alcântara, há otimismo para os próximos dois anos.

A cerimônia de posse ocorreu no auditório da Câmara Legislativa, na presença de autoridades do mercado imobiliário e parlamentares. O Creci é responsável por fazer a fiscalização tanto dos Corretores quanto das imobiliárias e serve de apoio a locadores, locatários, compradores e vendedores de imóveis. Para Hermes, é importante que os profissionais busquem experiência para se manterem no mercado. “Hoje, temos meios de se profissionalizar, cursos, faculdade, e isso é necessário. Estamos em uma cidade com uma das maiores rendas, com demanda forte, onde os preços são valorizados, até pela própria escassez”, explica o Presidente.

Na lista de desafios e pleitos para o  próximo mandato, entram, ainda, a isenção do ICMS para Corretores na compra de um veículo e a aquisição de espaço público para a construção de área de lazer para a categoria. “O carro é o nosso meio de trabalho. E nós somos responsáveis por termos vendido essa Cidade, vendido as áreas onde temos clubes, mas nós não temos uma. Pleiteamos um espaço para a nossa instalação social”, revelou Hermes.

Dedicação

Severino Ramos, 66, é um dos Corretores a tomar posse ontem. São 44 anos de serviço e muitas histórias guardadas. “A nossa missão é, a cada dia, fazer a felicidade das pessoas. É conhecê-las e servi-las em um dos momentos mais importantes, o de adquirir a casa própria”, afirmou. Segundo Severino, mesmo com todas as dificuldades, valem a amizade e o carinho. “Sempre acham que é um negócio muito rentável, mas em tempos de crise não”. Nessa hora temos de recorrer aos amigos clientes com quem construímos uma relação de confiança. São eles que indicam um filho, um amigo”, contou.

A Conselheira Mazé Fernandes, 56, se destaca em uma área predominantemente masculina. “É machista, tem mais homens, mas fomos conquistando”, disse a profissional, com 28 anos de experiência. Depois de muita dedicação, ela conseguiu montar o próprio negócio e, hoje, é Vice-Diretora da Diretoria Feminina do Creci. “O que me motivou foi a necessidade. Fiquei Viúva, com dois filhos para criar, nada me impediria. No dia 18, teremos, inclusive o Concurso Miss Corretora. Será uma noite de glamour”. Afirmou. Apesar da crise, Mazé fechou negócio ontem, no Riacho Fundo. “A gente sentiu essa recessão, mas vamos atrás dos contatos antigos, das indicações, e vamos superando”, observou.

Direitos e Deveres

Número de registro no Creci

É obrigatório ao Corretor de Imóveis e à imobiliária inserir o número de registro em todos os materiais de divulgação de imóveis, de acordo com a Lei 6.530/1978. É possível verificar no site crecidf.gov.br

Proibição da justiça Federal

Comercializar imóveis no Setor Habitacional Arniqueiras, sob pena de multa de R$ 10 mil por imóvel residencial ou comercial anunciado ou com intermediação de compra, venda ou locação.

Retenção de documentos

É terminantemente vetado reter Carteira de Identidade, CPF, CNH ou qualquer outro documento pessoal como condição para visitação de imóveis. A regra vale para pessoa física e jurídica, ou seja, Corretores de Imóveis autônomos e imobiliárias. Caso isso aconteça, denuncie ao Creci.

 Fonte: Correio Braziliense.